domingo, 6 de maio de 2012

TEXTO DO PROFESSOR PÚBLICADO NO JORNAL DE ARAGUARI A RESPEITO DO PROJETO DE RESTAURO DO ARMAZÉM DE CARGAS DE SUA AUTORIA


ARMAZÉM DA EDUCAÇÃO “ALEXANDRE JAIRO CAMPOS DE SOUZA”

A preservação do Patrimônio Cultural de uma cidade é o reflexo do cuidado que a comunidade e seus governantes têm com estes bens que nos diferenciam de outras comunidades e nos trazem orgulho e cidadania.
 O Complexo Arquitetônico da Estrada de Ferro Goiás é um destes conjuntos arquitetônicos de inigualável valor cultural, tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal e Estadual. O conjunto é composto de diversos prédios como: Estação, Almoxarifado, Hospital, Vila Operária, Tipografia e o Armazém de Cargas.
O projeto da Estação da Goiás “Palácio dos Ferroviários”- Centro Administrativo e Cultural de Araguari tem como intenção a implantação na área da ferrovia, do Centro Administrativo e Cultural do município, que teve desde seu início o propósito de abrigar na área toda a administração municipal que até então não possuía sede própria. O projeto longo e árduo, talvez um projeto de vida e/ou de preservação que tem como perseguição a valorização da área da ferrovia para o cidadão, abrigando todos os departamentos da Prefeitura Municipal de Araguari, Museus, Auditórios; Praça Cívica e Área de Eventos e o Trem Turístico – passeio de trem dentro da cidade, demanda tempo por suas dimensões – grandes áreas livres e prédios com dimensão consideráveis para o desenvolvimento de projetos de restauro e requalificação e recursos para obras. Complexo este que só se completará se for pensado em longo prazo, com projetos para toda área sendo estes executados por várias administrações, ou seja, não é um projeto de governos e sim de cidade.
         Hoje me sinto feliz, pois estamos tendo a oportunidade de inaugurar mais um prédio deste conjunto que será a sede da Secretária de Educação. Prédio este que durante algum tempo serviu de Estação de Embarque e Desembarque de Passageiros durante o período que a Estação da Goiás estava sendo construído na década de 20 e após este período voltou a sua função primordial que era o de armazenar cargas com objetivo de embarque e desembarque de mercadorias fazendo o entreposto entre as duas ferrovias – a Estrada de Ferro Mogiana e a Estrada de Ferro Goiás e entre três estados – São Paulo, Minas e Goiás.
Em 2001, o prédio foi tema do meu trabalho de Especialização pela Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Arquitetura onde desenvolvi o levantamento arquitetônico e o projeto de restauro do Armazém com outra função. Trabalhando na Divisão de Patrimônio Histórico órgão da FAEC de 2002 a 2008, o projeto foi apresentado a secretária de Educação deste período Sra. Maria Eleonora de Oliveira Scalia, que entendeu a importância do projeto sendo que a ocupação do prédio em conjunto com Sra. Laura Tavares Resende, arquiteta urbanista da FAEC foi repensado para abrigar  a sede da a Secretaria de Educação e Museu da Imprensa. Nesta gestão enviamos o projeto ao Fundo Estadual de Cultura onde foi aprovado o projeto e liberado verbas para execução da restauração do telhado do armazém. Na atual gestão a Sra. Eunice Mendes, atual Secretária de Educação vendo a importância do projeto e tendo a visão deste como um projeto de preservação e sua importância para o município solicitou à arquiteta da FAEC a revisão deste para ocupação e o reinicio da obra de restauro e sua conclusão.
 Hoje me alegro, mas com misto de tristeza pela ausência do estimável amigo que é homenageado - ARMAZÉM DA EDUCAÇÃO “ALEXANDRE JAIRO CAMPOS DE SOUZA” cuja sensibilidade, visão de futuro e preservação e por tantas vezes incompreendido na luta incansável, na dedicação à preservação e na busca do desenvolvimento de projetos de educação patrimonial.  Ele acreditava que a educação é a base para o entendimento do que é a preservação, sendo transformadora de realidades de suas comunidades. Homenagem nada mais justa que seu nome imortalizado em um local dedicado a educação e a preservação do patrimônio visto que ele tanto lutou pela realização deste projeto e de tantos outros ....
Parabenizo a Prefeitura Municipal de Araguari, aos Técnicos da FAEC os que por lá já passaram e aos atuais e as Secretárias de Educação tanto pela sensibilidade em ver a importância deste projeto quanto pelo início e pela continuidade, perseguindo um sonho que não é nosso, mas de todos os que acreditam na preservação e na transformação desta área que nos projetam e nos distingue de outras comunidades trazendo vida a estes locais abandonados e esquecidos nas cidades, tão ricos de memória e história.
Que o Armazém da Educação “Alexandre Jairo Campos de Souza” seja mais um dos muitos projetos de restauração e requalificação da área do conjunto ferroviário promovidos pelo poder público e devolvidos a comunidade Araguari até a completa implantação do Centro Administrativo e Cultural de Araguari
Viva o Patrimônio Cultural!!!!!!
Clayton França Carili
Arquiteto Urbanista Especialista em Revitalização Urbana e Arquitetônica, Professor do Centro Universitário do Triângulo/ Unitri, Faculdade de Arquitetura e sócio proprietário do Escritório Época – Arquitetura, Restauro, Paisagismo e Decoração







 

Nenhum comentário: